Onde vamos parar?

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Hoje fui a uma papelaria comprar papel de presente para o aniversário do MaridoLindo. Assim que perguntei para a atendente onde ficavam os papéis de presente ela me perguntou “Papel de presente ou saquinho?” respondi que era papel de presente mesmo e depois fiquei pensando sobre a pergunta dela. Até onde as praticidades do mundo moderno têm nos tornado seres preguiçosos? Por que tudo tem que ser tão prático, tão mais rápido? Percebo isso quando estou dirigindo, fico furiosa quando o semáforo abre duas vezes e não passei. Perco a paciência rapidinho quando estou em uma fila a mais de 15 minutos.

A verdade é que me habituei a estar com pressa, a não ter tempo a perder, mas minha vida nem é tão corrida assim. Trabalho apenas meio período, se eu me organizar, tenho tempo de sobra. Me assusta quando vejo minha vida e das pessoas ao meu redor assim. Tudo é para ontem, tudo tem que ser rápido.

Vocês devem estar se perguntando “Você tirou isso só por que a atendente perguntou se vc queria um saquinho?” Eu sei, é viagem minha. Mas é que tenho pensando muito sobre esses assuntos. Quando foi que a vida se tornou tão corrida que não se tem mais tempo para embrulhar presentes?

Saí da loja com duas folhas de papel e um rolinho de durex. Percebi que sou uma negação para fazer embrulhos, mas tirei um tempo apenas para fazer isso, com calma, imaginando a cara do MaridoLindo a hora em que ele abrir o presente.

Daí, ao invés de sair correndo para minha próxima obrigação, resolvi sentar e escrever esse post-desabafo. Agora estou pronta para a correria novamente, fazer o quê?

3 comentários:

Tati disse...

A gente se perde no meio de coisas pra fazer, nas milhares de reuniões, nos mil e um compromissos...a vida está engolindo a gente. Fato.
Mas, sempre podemos - e devemos - tirar um tempo pra gente...
Beijos,
Tati
PS: Vou ler - e ver - Cartas para Julieta...

Carol Balan disse...

Eu sempre penso nisso quando leio livros como Orgulho e preconceito, por exemplo, o último que li no estilo. Fico morrendo de inveja da vida deles: não tinha TV, internet, energia elétrica e quaisquer outras facilidades que temos hoje. Ainda assim, eles tinham muito tempo para ler, passear, conversar, fazer visitas. É fato que as moças do livro tinham vários empregados, então muita coisa era feita por eles, mas elas também tinham responsabilidades e ainda assim viviam com calma e aproveitavam a vida. Fazer o quê?? Já sei! Já que percebemos isso, nos esforçar para sermos mais tranquilas!! hehehe O tempo vai passar de qualquer jeito mesmo. Beijo

Natália disse...

caramba.. q viagem por um saquinho de presente.. rs.. mais eu concordo com vc... cada vez mais nao temos tempo para nada... e deixamos coisas importantes para tras.. como ficar com amigos... ou mesmo a familia =))
precisamos nos organizar.. rs

bjoos amiga